Reggae | sexta, 27 de maio. 22h

Tribo de Marley

Reggae | Temporada de 27 de mai a 27 de Mai

Tribo de Marley

Ingressos a partir de
R$90 (meia)

Sexta, 27 de maio às 22h
Abertura da casa: 1h antes do show

Gênero
Reggae

Classificação Etária
18 anos

Horários

Começo do show - 22h

Ponto de Equilíbrio

Há 21 anos na cena musical, o Ponto de Equilíbrio é uma das principais referências do reggae no Brasil. Formado por Helio Bentes, Pedro ‘Pedrada’ Caetano, Márcio Sampaio, Tiago Caetano, Lucas Kastrup e Marcelo Campos, o grupo apresenta quatro álbuns gravados em estúdio – ‘Reggae a vida com amor’ (2004), ‘Abre a janela’ (2007), ‘Dia após dia lutando’ (2010) e ‘Essa é a nossa música (2016); além da Coletânea Ponto de Equilíbrio (2016), do Tributo a Bob Marley – 70 anos, do álbum Ponto e Amigos (2017), e dos DVDs ‘Juntos somos fortes’ (2013) e ‘Ao vivo no República do Reggae’, em atual turnê.

Começo do show - 0h

Steel Pulse

No ano de 1975 em Birmigham (UK), três jovens do bairro de Handsworth, descendentes de imigrantes jamaicanos, resolveram canalizar suas energias nas artes, formando uma banda que viria se tornar uma das mais queridas e respeitadas do mundo todo, o Steel Pulse. O trio era formado pelo baixista Ronald McQueen e pelos guitarristas Basil Gabbidon e David Hinds. Logo se juntaram com o tecladista Selwyn Brown, o baterista Steve Nisbett, o percussionista Phonso Martin e o cantor Michael Riley. Ensaiaram e batalharam por shows por três anos, fazendo covers de Burning Spear, Gladiators e Bob Marley. Uma das maiores dificuldades era arrumar lugar para tocar, porque eram rejeitados até mesmo nos clubes de música negra. Ironicamente, sas melhores chances vieram com o movimento punk, que na época abalava as estruturas da indústria musical e da sociedade inglesa. O Steel Pulse tocou com algumas bandas da época, como The Clash, XTC, Police, Stranglers, e abriru shows de Bob Marley em 1978 e 1979 pela Europa, encontrando espaço para passar sua mensagem antissistema aos skinheads e punks, que adoravam a banda.

Seu primeiro álbum, “Handsworth Revolution” (1978) é considerado um dos melhores discos de reggae da história graças ao single “Ku Klux Klan”, umas das canções de reggae mais executadas do mundo. A lista de hits não para por aí: “Roller Skates”, “Chant a Psalm”, “Steppin’Out”, “Your House”, “Earth Crisis”, e muitas outras viraram hinos. São mais de 20 álbuns gravados, com destaque para “Tribute to the Martys”, “True Democracy” e “Babylon the Bandit”, vencedor do Grammy de 1985, sendo a primeira banda de Reggae não jamaicana da história a ser premiada na categoria. Noa anos 90, já eram atração principal de alguns dos maiores festivais de Reggae e de World Music do planeta. No Brasil, a banda tocou para multidões em eventos como Hollywood Rock e Virada Cultural, nesse último para mais de 60 mil pessoas. Foram até convidados para fazer um show particular  na posse do presidente americano Bill Clinton em 1993 na Casa Branca. No palco, a performance musical é sempre impecável, e são considerados uma das bandas mais poderosas e vibrantes ao vivo. Atualmente, o grupo está em fase de produção de novo álbum e documentário. O álbum mais recente “Mass Manipulation”; foi indicado ao Grammy e a banda se prepara para sua turnê de divulgação.

Começo do show - 2h

Groundation

Após o triunfal lançamento de “The Next Generation”, “The Next Generation Live” e incríveis turnês pela Europa, Estados Unidos, América do Sul e Oceania em 2018 e 2019, o Groundation segue se reiventando e trazendo novidades, celebrando seus quase 25 anos de história. O grupo se prepara para vir ao Brasil no clima do novo álbum que será lançado no primeiro semestre de 2022 e contará com participações de ninguém menos que The Congos, Israel Vibration e The Abyssinians, verdadeiros clássicos do reggae jamaicano.

Harrison Stafford, membro fundador, vocalista e guitarrista do grupo, reforça que “O Groundation é como uma embarcação musical que me permite criar e executar a música que ouço na minha cabeça”. O som vem em parte da primeira infância de Harrison, ouvindo Duke Ellington e Miles Davis (ambos artistas de Jazz) através de seu avô e pai. Ele formalizou sua educação musical na Sonoma State University (SSU), completando uma licenciatura em “Jazz Performance”, onde aperfeiçoou suas habilidades para compor, arranjar e produzir. Após a conclusão Harrison passou a ensinar a História da Música Reggae na SSU antes de embarcar em sua própria jornada musical. Uma jornada que, em geral, incluiria até agora 9 álbuns de
estúdio, 1 ao vivo e tours para mais de 45 países em todo o mundo com o Groundation.

A banda de nove membros cria um som de reggae totalmente único, com toques inspirados no jazz / funk, polimórficos latinos e afro-africanos e vocais harmoniosos com soul. Seus shows utilizam improvisação ao vivo, na moda clássica do jazz, e são famosos por sua atmosfera de alta energia e comunhão. Aos fãs: preparem-se para mais uma verdadeira viagem musical.

Realização

00 00 00 00

Shows Presenciais

Agenda Faça seu evento