00 00 00 00
Samba | quinta, 11 de Abril. 21h30

Mart’nália

Samba | Temporada de 11 de Abr a 11 de Abr

Mart’nália

Ingressos a partir de
R$ 80,00

Quinta, 11 de Abril às 21:30
Abertura da casa às 19:30

Gênero
Samba

Classificação-etária
Livre

Horários

  • quinta, 11 de Abril, 21h 30m Comprar

Cantando Vinicius de Moraes

Mart'nália

Nada poderia representar melhor o coração inflamado do carioca do que unir Vinicius e Mart’nália. Essa intensa preguiça para tudo o que não seja paixão amorosa e criação artística faz do mero anúncio de um álbum dedicado por ela à obra dele um vislumbre do essencial da alma do Rio.

Amparada nos arranjos sempre elegantes de Celso Fonseca em parceria com o saudosíssimo Arthur Maia, a voz a um tempo rasgada e suave de Mart’nália, pé do nosso samba, traduz o amor pelas mulheres, a compaixão pelos desfavorecidos, a impaciência com os medíocres, tudo o que é motivação para os versos sempre tão bem construídos de Vinicius, numa linguagem íntima porém desacorrentada.

Os arranjos estilizados no gosto do pop moderno pós-bossa nova, pós tropicalismo, pós clube da esquina e pós rock dos 80 são menos um ninho onde a voz se aconchega do que uma bela touceira de onde salta um bicho arisco. Vinicius, que não era cantor, abre o repertório saudando e sendo saudado no “Samba da Bênção”, expondo o método. Mart’nália pega a chama, responde, e mantém a cabeça do bicho fora da moita. Quando, em “Insensatez”, Carla Bruni contribui co m um canto cultamente bossanovístico, há uma unidade formal que sublinha a beleza da canção e se encaixa na folhagem leve da touceira . É canto excelente e comovedor. O que faz ressaltar o que há de molecagem, soltura, Vinicius em Mart’nália, quando esta volta a assumir o tema. “Tonga da Mironga”, “Maria vai com as outras”, “Um pouco mais de consideração” têm isso de modo óbvio. Em “Minha namorada”, “Sabe você” ou “Você e eu”, a malandragem envolve-se, sutil, no romantismo, no protesto, na obstinação.

O show

O CD e o show  tem direção geral de Marcia Alvarez e Mart’nália, a luz será assinada por Daniela Sanchez.  O disco foi uma produção musical de Arthur Maia (6 faixas) e Celso Fonseca (6 faixas). O  show está sendo arranjado por Jorjão Barreto edeverá acrescentar todas as outras canções já gravadas por ela: Pra que chorar, Mulata do Sapateado, Tempo feliz, Sei Lá - a vida tem sempre razão, e outras mais.

Enquanto vocês na platéia poderão cantar e se emocionar!

A banda: Mart’nália -voz e percussão, Jorjão Barreto - vocal e teclados, Humberto Mirabelli -violão e guitarra, Rodrigo Villa- contra baixo, Flavio Santos -bateria, Macaco Branco - percussão e Analimar Ventapane – vocal.

00 00 00 00

Vem aí

Agenda Faça seu evento